terça-feira, 28 de junho de 2011

Um ano de carcará!!!


No dia 25 de junho de 2010, em pleno clima de festas juninas e de Copa do Mundo, dois nerds que não tinham coisa melhor para fazer discutiam virtualmente durante o jogo Brasil x Portugal sobre a idéia de criar um blog para externar um pouco seus pensamentos; Surgia assim o Olho do Carcará. Um ano se passou e apesar de vários contratempos, a despeito do tempo entre conciliar atividades de faculdade, trabalho e ainda lidar com esse novo projeto, a peteca não caiu e o blog não foi mais apenas uma mera intenção que se perdeu com o tempo. Alternando bons momentos e outros nem tanto, nesse período, a equipe teve duas adições significativas em seu corpo editorial e sempre que dá tem uma matéria fresquinha pro nosso público. Claro que não deu pra dominar o mundo com isso, mas já é um bom começo.  :)


Nós da equipe Olho do Carcará agradecemos a audiência e principalmente a paciência dos fiéis carcaranautas e esperamos que esse projeto tenha muitos anos de vida.


PS: O incauto leitor pode perguntar? Se o blog é de junho de 2010, por que tem matérias anteriores a isso? Simples gafanhoto, esse material foi migrado a partir de uma tentativa anterior malsucedida, ou seja, material A.C (Antes do Carcará)

PS2: Como aqui não se trata de um blog de muitos recursos financeiros para presentear seus carcaranautas, com campanhas do tipo "no aniversário do blog, quem ganha é você" fica aqui pelo menos a promessa estrear uma nova proposta gráfica para o Olho do carcará. Aguardem e confiem.

quinta-feira, 23 de junho de 2011

O São João está ficando segregado?



Eu li no jornal da metrópole e escutei na rádio deste jornal, que em Santo Antônio de Jesus, já existe área VIP para aqueles com melhor condição financeira e me parece que isso não é tão recente assim,os políticos do local chamam até gente famosa, ex-BBBs, cantores e etc, mas que PALHAÇADA é essa?
O São João está ficando quem nem o Carnaval soteropolitano, vai chegar o tempo que haverá diferenças na vestimenta, como o abadá no carnaval, cada pessoa terá uma camisa quadriculada de cores diferentes para mostrar em que grupo pertence, droga!!!!... As festas populares estão se descaracterizando, vemos um definhamento da cultura popular, o que antes era do povo, agora precisa de camarotes,cartões de identificação, seguranças, eu fico desanimado com isso, mas o próprio povo não vê isso, porque, creio eu, não chega a atrapalhá-los,basta um licor, uma dança, uma pamonha e fogos e pronto; mas por trás o capital molda a forma das festas e da cultura, que processo de privatização das festas são esses?

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Cuidado com o que você come



Assista à explicação científica dada no programa "TV Foro"(Quem souber espanhol fica mais fácil, mas dá para entender algumas coisas) , conduzido por William Castillo, e onde o engenheiro em alimentos Odín Ramos, e o investigador naturista Daniel González, fazem uma experiência ao vivo, para mostrarem os danos que causam ao organismo as comidas em pacotes Cheetos.

A experiência prova, que dois dos ingredientes usados nesta comida, são o cartão(materiais para a fabricação do plástico),ou seja, derivados do petróleo, tornando-a extremamente nociva para quem os consome, nomeadamente as crianças, os maiores fãs deste género de palitos, com vários sabores que vão desde o queijo, ao bacon.Que utilizam de corantes artificiais que deixam o alimento por semanas ou até meses em estado digamos 'inalterável'.Bem que quando eu comia isso eu ficava com a barriga ferrada.

Isso não serve apenas para esse tipo de alimento, existem vários,sugiro que passem a ler os ingredientes que contém os produtos que vocês consomem, porém não ficar paranóico com a situação.bastam ser mais racionais, com relação a esses produtos industrializados artificializados.


sexta-feira, 10 de junho de 2011

quinta-feira, 9 de junho de 2011

O Estado do São Francisco é realmente necessário?

No período eleitoral, no meio do fervilhar de propostas de políticos de todos os cantos algumas chamam a atenção, principalmente aquelas que visam dar maior autonomia a certas regiões brasileiras, digo autonomia no sentido de emancipação, de criação de novas unidades territoriais. O Brasil possui uma série de projetos de desmembramento de estados e criação de outros e dentre eles o que posso afirmar ser o mais forte, até porque se encontra em estágio mais avançado é o da divisão do Pará.

Devido a sua diversidade socioeconômica e grandeza de dimensões a Bahia também não poderia estar de fora. Existem duas aspirações de novos estados surgidos a partir dela (Santa Cruz e São Francisco), sendo que destas a última está mais em voga e será tratada nessa matéria.

Não somente para esse virtual futuro estado, mas como os outros, o argumento usado por quem levanta a bandeira emancipacionista é o mesmo: o suposto abandono do poder público que certas porções do território teriam cuja solução se daria a partir da fragmentação territorial e administrativa.

Evidente que em boa parte desses casos o argumento economicista propriamente dito é insuficiente para justificar uma aspiração desse porte, insuficiente e por que não dizer, um pouco desvinculada da realidade. Lembro de ter lido um artigo do sociólogo Márcio Carvalho que fala justamente em relação aos municípios que comporiam o estado do São Francisco. No seu estudo ele faz um levantamento da diferença entre arrecadação de impostos e repasses da União e conclui que poucos municípios são realmente deficitários, dessa maneira, não a quantidade, mas a gestão desses recursos que parece não ser eficiente.

Além disso, os defensores da criação do Estado do São Francisco argumentam que se trata de uma “luta” secular que está em continuidade. Historicamente a região pertencia ao estado de Pernambuco e posteriormente foi incorporada ao território baiano. Porém eles deixam claro que não se julgam diretamente ligados nem a um nem a outro, devido principalmente a sua dinâmica econômica e sua situação geográfica e cultural distinta. Quem defende a idéia afirma que a criação do Estado do São Francisco seria uma boa oportunidade para fomentar o desenvolvimento regional, fazendo dele o dínamo do país, com sua economia baseada principalmente na produção de grãos. Sob essa ótica pode ser percebido o quanto essa reivindicação parece ter tomado uma proporção cada vez maior à medida que o Oeste baiano se firmou como uma área de expansão agrícola.

Na contramão do argumento “dividir cada vez mais para melhor administrar” temos um trabalho do geógrafo André Roberto Martin, da USP que em sua tese de doutoramente afirmava que, para a Região Nordeste ter maior equilíbrio e força na federação, seria necessária não a fragmentação dos estados já existentes, mas justamente o contrário. Dessa forma ele propunha a fusão dos estados de Bahia e Sergipe; além disso, Rio Grande do Norte, Paraíba e Alagoas voltariam a se fundir com Pernambuco e o Piauí ao Maranhão.

Á guisa de conclusão, fica pautado que esses tipos de reivindicação estão vinculados principalmente a interesses de determinados grupos políticos e grandes atores econômicos e não verdadeiramente algo vindo das populações diretamente afetadas e associar a idéia de que a autonomia administrativa é a palavra mágica que vai definir a tônica do desenvolvimento e do progresso é no mínimo temerária.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Novas formas de energia

Eu me admiro com a capacidade humana de inventar e isso provém de necessidades,sabe-se que o mundo antigamente era muito dependente do petróleo, porém nos tempos atuais temos energias renováveis a base de plantas, sol, vento e agora na China temos o Tório.
O que seria o Tório?
O tório é um dos elementos mais abundantes na mãe natureza. Um metal natural, ligeiramente radioativo. Quando puro, o tório é um metal branco prateado que mantém o seu brilho por diversos meses. Entretanto, na presença do ar escurece lentamente tornando-se cinza ou, eventualmente, preto.
É compreensivo o fato da China buscar novas formas de energia, me refiro isso pelo acontecimento que amrcou o primero semestre desse ano, em Fukushina no Japão, países estão preocupados com o urânio e sua capacidade de contaminhttp://www.blogger.com/img/blank.gifação.
Uma tonelada de tório pode produzir a mesma energia de 200 toneladas de urânio e de 4 milhões de toneladas de carvão. Ademas, o tório é um combustível altamente eficiente que se pode aproveitar 100%, sem nem mesmo requerer um maior tratamento e com resíduos menos nocivos que o urânio.
O tório é seis vezes mais abundante que o urânio, e tem um potencial 200 vezes maior. Se cavassem uma cratera de um hectare de rocha e terra até uma profundidade de 30 centímetros, e logo depois extraíssem todos os materiais radiativos, se obteriam 8,1 kg de urânio, 46,1 kg de tório, 7,7 kg de potássio-40 e 0,0065 gramas de radio.
A Índia será o primeiro país que irá garantir sua independência energética com o tório. O país indiano é o segundo em abundancia de reservas tório em suas terras, atrás apenas da Austrália. Em 2003 o país lançou um ambicioso projeto para empregar o tório na geração de mais de 20.000 MW de energia nuclear para o ano de 2020 e alcançar assim sua independência energética.

Fonte:clique aqui