terça-feira, 22 de maio de 2018

Ainda estão aí?

Ainda estão ai?

sábado, 21 de janeiro de 2012

“Alto falante, gente elegante... estranho, hein!”

Já faz tempo que a noite do período de férias do brasileiro é ocupada por programas pitorescos, pra não dizer verdadeiros “colírios nos olhos dos outros”. A receita é a seguinte: vamos saborear alguns milhões, para isso vamos precisar de uma enorme panela de pressão, dessas feitas sob medida, com especiarias dos tipos mais variados... Tem baiano, modelo, fazendeiro e até negro, que alias, ficou bem claro que “não entrou por cotas”, acrescenta um pouco de farra e uma pitada de intriga para dá gosto.

“O que é que é isso?”... sinceramente, não entendo porque insistimos em fazer dessa receita o prato do dia, para ser mais especifica, o prato da noite. É incrível como nossos ouvidos e o nosso olhar tem se acostumado a coisas do tipo. Lamentos a parte... vamos ao que interessa, alguém me diz, por favor, o que estão fazendo com as cotas, é muito fácil trazê-la descontextualizada e como desculpa fazer um discurso muito lindo de igualdade e que somos todos irmãos. Não, o mais incrível é quando eu, enquanto negra ou negro, nem sei do que se trata as políticas de ações afirmativas e “engrosso ainda mais o angu”, validando afirmações do tipo: “são os próprios negros que se discriminam”, “o racismo tá na cabeça dos negros”, “ eles não se esforçam , por isso não conseguem as coisas”.

É muito fácil dizer quando não se vive na pele, a cor negra, e quando não se experimenta todo legado de marginalização que submeteu a negritude à condição de escravo. O sangue vermelho que corre na veia de negros e não negros não foi e nem está sendo levada em consideração em lugar nenhum, agora acredito que até o dito cujo toma consciência do que pronunciou. Discriminação racial existe sim. Não adianta “tapar o sol com peneira”, só não ver quem não quer. Alguém me dê uma explicação mais convincente para “Sinto muito, mas o senhor não se adequou ao perfil da empresa”, que perfil é esse? “Peraê... tá pensando o quê?” Reconheço que estive um tanto desligada a esses questionamentos, agradeço muito a minha amiga-irmã que abriu meus olhos acerca do assunto, que diz respeito a nós negras-negros e incomoda mesmo, mas não devemos nos cansar nunca de bater na mesma tecla e expor o que insistem em silenciar.

A favor das cotas sim, em tudo que tivermos direito. Estivemos marginalizados durante tanto tempo, vamos esperar até quando? Que nada de esmola, nos garantimos sim... Mas não vem pra cá dizer que basta se esforçar e pronto como num passe de mágica tá tudo resolvido. Enquanto política urgente de reparação, sim as cotas; enquanto oportunidade de mostrar quem somos e pra onde vamos, sim as cotas; se para sermos iguais é preciso nos diferenciarmos, sou negra sim e porque não, sim as cotas?

Concluindo...

Depois de tanto disse me disse, só mais uma observação: “Alto falante, gente elegante... estranho, hein!”


domingo, 15 de janeiro de 2012

Música chiclete


Porque uma música gruta tanto na cabeça?, qual a razão disso?.Essa é a grande questão que eu assim como várias pessoas ficam intrigados.
Recentemente eu estava vendo uma entrevista com um dos jurados do programa "Se ela dança eu danço", ele estava comentando essa febre mundial do Michel Teló.

Ele afirmava que não existe um segredo de sucesso para uma música emplacar,existem fatores que auxiliam a rápida produção da música pelo mundo, fácil melodia, refrão contagiante,uma coreografia fácil de se realizar e pessoas famosas que dançam essa fácil coreografia(Neymar,Nadal,Cristiano Ronaldo,etc.).

Essa música é de uma cantora baiana, a mesma que criou aquele hit medonho( Ado, ado cada um no seu quadrado),apesar de tudo é bom ver o Brasil no cenário internacional da música,porém a música não te faz refletir, sentir sensações, ela serve apenas para dançar e chega um momento que esse hit enche o saco e a música se torna um chiclete, por mais que você não queira lembrar, você lembra e é aí que o bicho pega.
Você pode estar no banheiro fazendo o que for, número 1,2 ou até tomando banho, lendo,assistindo tv, procurando uma coisa que perdeu ou algo para comer na geladeira e do nada...Delicía, delícia assim você me mata, aí se te pego aí, aí se te pego.

Eu confesso que nunca cheguei a escutar essa música inteira, pode parecer surreal, mas não faço questão, apenas conheço o início e o refrão.Imagino que seja um cara que chega numa balada e vê uma mulher linda que chama a atenção dele e vem o refrão, apenas isso.

Hoje(Domingo-15/01/2012) tomei uns tapas do marketing televisivo três vezes seguidas.Eu estava assistindo o esporte espetacular e passou um take do que viria no próximo bloco do programa...era o Michel Teló e a música de fundo,mudei de canal e fui para a MTV para eu talvez me 'purificar', vendo e ouvindo alguma coisa que eu gostasse, estava passando o TOP10 da mtv, sabe quem apareceu?...ele(Michel Teló), estava no top 2 das escolhas de um cara gringo, passei para a globo para pelo menos ver as propagandas porque os outros canais estava uma Bosta, no domingo não tem nada que preste para assistir na tv e mais uma vez quem estava lá(Michel Teló), mas não era no esporte espetacular,era numa propaganda para vender o CD e DVD dele.

Até quando isso vai sumir?... :(
E o pior vem aí, segundo esse Michel Teló um novo hit vem para embalar sua mente como um chiclete.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

A verdade sobre o Natal


Eu vou puxar dois pontos do Natal(o positivo e o negativo) dessa festa que agrega muita coisa,não apenas no cenário econômico, mas sentimental e histórico.

Vamos falar primeiro dos pontos negativos e históricos, sabe-se que o Natal é uma festa pagã,seu conceito é copiado de países Nórdicos, na história o bom velhinho não faz parte do nascimento de Cristo e nem a ideia do pinheiro existe.O Natal, em si, é uma data que comemoramos o nascimento de Jesus Cristo, porém na antiguidade, o Natal era comemorado em várias datas diferentes, pois não se sabia com exatidão a data do nascimento de Jesus. Foi somente no século IV que o 25 de dezembro foi estabelecido como data oficial de comemoração. Na Roma Antiga, o 25 de dezembro era a data em que os romanos comemoravam o início do inverno. Portanto, acredita-se que haja uma relação deste fato com a oficialização da comemoração do Natal.

O pinheiro, foi agregado ao Natal por Martinho Lutero, quem diria,tal tradição começou em 1530 na Alemanha, já o papai noel, em alguns países europeus, é caracterizado como esse bom velhinho de hoje,mas o tal tinha um acompanhante, um demônio chamado Krampus (com pés de bode e longos chifres). Soube que existe um dia de comemoração para esse demônio,Krampus day, BIZARRO!


A função deste ser era levar, num saco(na primeira imagem é visto uma cesta), as crianças malvadas para algum lugar sombrio, aplicando todo tipo de tortura, na verdade esse demônio se aplica à lenda urbana no Brasil, o homem do saco, que transportava crianças num saco à noite. Existe um filme Finlandês chamado Rare Exports de 2010 que conta de forma menos agressiva, humorística e aventureira o sumiço de crianças por conta do papai noel e seus duendes do mal,porém no final há uma transformação do papai noel no ser de hoje, um bom velhinho, de fato o filme é fraco.


Vamos voltar a ideia desse ser carismático( papai Noel);segundo a Igreja Católica, o papai noel é o bispo Nicolau de Mira, esse senhor da foto logo abaixo.Nascido na Turquia em 280 d.C., ele era um rapaz de bom coração, gente fina, boa gente e ficou conhecido pelo costume que tinha de deixar saquinhos com moedas nas chaminés de pessoas pobres.A associação da imagem de São Nicolau ao Natal aconteceu na Alemanha e espalhou-se pelo mundo em pouco tempo.

Porém a roupa do papai noel de hoje não tinha nada haver com o ser carismático de antigamente.Até o final do século XIX, o papai Noel era representado com uma roupa de inverno na cor marrom ou verde escura.Só em 1886 foi que o cartunista alemão Thomas Nast criou uma nova imagem para o velhinho, nas cores vermelha e branca, e com cinto preto, essa imagem a coca cola, em 1931, numa campanha publicitária a usou, associando as cores ao refrigerante disseminando assim essa figura para todo o mundo.

Resumindo, o conceito de Natal que existe pelo mundo atualmente começou com as tradições alemães, ou seja, imigrantes alemãs que saíram de seu país para tentar a vida na América.

Vamos tocar no assunto de simpatia com o Natal;para muitos o Natal é uma festa depressiva e consumista, depressiva porque ou perderam entes queridos nessa data ou porque não tem alguém com quem passar o Natal, trazendo a questão da solidão.No caráter consumista muita gente não aprova a derrocada de coisas que devem comprar para pessoas(amigos, chefe,família, vizinho e o escambau a 4), além de citar a questão da hipocrisia, aquela pessoa que passa o ano inteiro te criticando, te malhando aos 4 ventos,falando mau de você para Deus e o mundo ver, chega o Natal e do nada vira um santo(a),é Fod@!!

Eu tenho uma resposta para todas essas questões, vamos começar com a depressão nessa época,sabia que tem gente que você nem conhece que precisa de você?, quem sofre a solidão nessa época pode participar de doações, visitações à hospitais, enfim, participação social explode nessa época do ano,sei lá, existe sempre uma saída pra isso, procure alguma coisa para minimizar essa questão de solidão, existe sempre alguém à espera de você.

No caso de 'consumismo', serei sincero com vocês, estou pouco me lixando pra isso,no Natal praticamente eu não ganho nada e não me importo se não ganhar, eu curto mais a festa, existe um clima legal de fraternidade, compaixão, fé,generosidade, enfim, isso que deve ser preservado e não só nessa época do ano,mas em todo o ano que virá, o Natal é a festa para você refletir o que você fez no ano, assim como os outros fizeram para com você.VOCÊ NÃO É OBRIGADO A DAR PRESENTE PARA NINGUÉM, o capitalismo que manchou essa data festiva, a ideia dessa festa é a fraternidade e religiosidade, presente é consequência.

Aí vem a questão da hipocrisia, a culpa não é do Natal, a culpa são dessas pessoas que utilizam o Natal para serem hipócritas, porque, como disse antes, essa festa parece que desarma muita gente,é como aqueles documentários animais que os cervos estão bebendo água no lago na África e do nada o leão ataca, pois bem, essas pessoas você pode avaliar por tal caráter e não levar a sério, se tiver que perdoar, pedir desculpas, agradecer por algum motivo especial e etc., teve e tem todo um ano pela frente, não deixe de fazer isso apenas no Natal.

Tem mais uma coisa, apesar desses desencontros de negativo e positivo à respeito do Natal, para mim pesa mais o positivo, é a festa que eu mais gosto,pelos motivos que já disse anteriormente e por mais uma coisa, uma festa dessa conseguir parar por alguns dias a primeira guerra mundial, em 1914(fato verídico), tem seu valor, onde os alemães, franceses e escoceses pensaram na família e amigos e enxergaram que os inimigos não eram na verdade inimigos e sim pessoas como qualquer uma que sofre pela distância de seus entes queridos,deixando no final seus rifles para tentar manter a paz.Esse fato é retratado no filme 'FELIZ NATAL'


No clipe desse meu ídolo, Paul McCartney,Pipes of Peace, é mostrado de forma descontraída tal fato, então eu deixo vocês com essa música.Para todos um Feliz Natal e um próspero ano novo.




Deixo aberto a criticas ou complementos, abraços à todos